Salvador
29°
nuvens dispersas
umidade: 70%
vento: 5m/s LSL
Máx 28 • Mín 26
Weather from OpenWeatherMap

Matar macaco é crime ambiental; Sobe para 61 o número de animais mortos

Subiu para 61 o número de macacos achados mortos na capital baiana com suspeita de febre amarela, este ano, segundo informou a Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Dois macacos foram encontrados mortos no bairro de Baixa de Quintas, em Salvador, nesta sexta-feira (2). Outros sete animais foram achados vivos, mas doentes. As  amostras de sangue dos macacos mortos e dos adoentados estão em análise para confirmar se eles tinham a doença, mas nenhum resultado foi divulgado ainda.

LEI DE CRIME AMBIENTAL – Ao matar um macaco, a pessoa pode responder por maus-tratos e ser enquadrada no artigo 29 da Lei 9605/98 – Lei de crimes ambientais, com pena de detenção de seis meses a um ano, além de multa. Aqueles animais encontrados ainda vivos, mas debilitados, são soltos na natureza após a realização de todos os exames necessários durante o período da quarentena, atestando boa saúde.

Entre os bairros em que houve registro estão Ondina, Castelo Branco, Garcia, Sussuarana, Valéria e Pau da Lima, onde foi achado o primeiro animal morto com suspeita da doença. Os macacos encontrados nesses locais foram recolhidos pela Guarda Civil Municipal, após solicitação de moradores. A recomendação é que entre em contato com a Guarda através da Central de Operações no telefone (71) 3202-5312.

Conforme a prefeitura, o macaco não transmite a doença da febre amarela. A doença tem como vetor o mosquito Aedes aegypti, o mesmo causador da dengue, zika e chikungunya. O macaco é um sentinela da doença – ou seja, indica quando ela está presente.

SINTOMAS – A doença se torna aparente de três a seis dias após a infecção, de acordo com o Ministério da Saúde. Os sintomas iniciais são febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. A maior parte das pessoas apresenta uma melhora após tais sintomas. Cerca de 20% a 40% das pessoas que desenvolvem a versão mais grave da doença (15% do total de infectados) podem morrer.

VACINA –  Com objetivo de combater com maior agilidade a circulação do vírus nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, o Ministério da Saúde lançará uma campanha emergencial com doses fracionadas da vacina especialmente nessas localidades. A vacinação contra febre amarela está disponível de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 17h, em todas 126 salas de vacina da rede municipal.

Em Salvador, a estratégia iniciará após o Carnaval, entre 19 de fevereiro e 9 de março. Até o momento do início da campanha, quem ainda não se protegeu pode procurar os postos para tomar a dose padrão do imunobiológico.

 

Comentar

%d blogueiros gostam disto: