Salvador
26°
nuvens dispersas
humidity: 78%
wind: 6m/s E
H 26 • L 25
Weather from OpenWeatherMap

4 em cada 10 famílias baianas gastam mais do que ganham por mês

Quatro em cada dez famílias baianas gastam mais do que ganham por mês, segundo dados de 2018 divulgados hoje (4) pelo IBGE. O cenário teve uma melhora em relação a 2008, ano em que, em média, as famílias baianas gastavam 102,5% a mais do que ganhavam, fator que tornava o estado com o segundo pior cenário do Brasil.

Hoje, 10 anos depois, as famílias da Bahia comprometem 90% do orçamento com as despesas. As 4,9 milhões que moram na Bahia têm rendimento total de R$ 3.803,08, em média, e os gastos chegam a R$ 3,423,63.

De acordo os dados de 2018, as cerca de 1,9 milhão de famílias na menor faixa de renda total (até R$ 1.908 ou 2 salários mínimos) têm média salarial de R$ 1.201,34 por mês e gastavam, no total, R$ 1.358,20, o equivalente a 113,1% do seu rendimento. Essas são as famílias mais representativas do estado, ou seja, 38,1% do total.

Os números fizeram com que a Bahia se tornasse o quinto estado com famílias com maior comprometimento orçamentários no país, abaixo de Rio Grande do Norte (96,2%), Amapá (95,2%), Maranhão (94,5%) e Pará (92,1%). Já no outro extremo, em média, as famílias do Espírito Santo (79,3%), Distrito Federal (79,3%) e Roraima (70,0%) tinham os orçamentos menos comprometidos.

O nível de comprometimento do orçamento com as despesas mensais cai no grupo de famílias com rendimento entre R$ 1.908 e R$ 2.862 (91,8%) e volta a subir na faixa seguinte (95,8% entre as famílias com rendimento de R$ 2.862 a R$ 5.724). A partir desse, o peso das despesas diminui conforme aumenta o rendimento médio. O menor comprometimento é de 68,7%, para as 1,3% de famílias baianas que têm mais de R$ 23.850 de renda mensal.

Em 2018, os três grupos de despesas com peso maior para o orçamento familiar foram habitação, alimentação e transporte. Juntos, eles correspondiam a R$ 6 de cada R$ 10 gastos pelas famílias da Bahia, representando 59% da despesa total. Os grupos lideram o ranking de despesas na Bahia desde 2003.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil