Salvador
27°
nuvens dispersas
umidade: 78%
vento: 6m/s LNL
máx: 28 • mín: 27
Weather from OpenWeatherMap

Gosta de arte e exposição? Confira a lista deste fim de semana

Vidas Refugiadas
Com 22 imagens produzidas pelo fotógrafo Victor Moriyama, a exposição revela as necessidades, os dilemas e as conquistas de mulheres refugiadas no Brasil. Seja pelas singulares expressões das fotos clicadas em estúdio ou mesmo os registros cotidianos das personagens, a exposição, ao revelar as dificuldades e os problemas vivenciados por essas mulheres, joga luz sobre suas conquistas, valores e esforços para a construção de dias melhores no país de acolhida.

Onde: Palacete das Artes – Rodin Bahia – Graça
Data/Hora: de 8/02 a 5/03 (exceto segunda), a partir das 14h
Valor: gratuito

Navegantes
O Ciranda Gastronomia & Artes recebe a exposição inédita ‘Navegantes’ do fotógrafo soteropolitano Ricardo Sena. O trabalho é uma homenagem a Bom Jesus dos Navegantes e a centenária Galeota do Povo, por meio de fotografias realizadas entre 2011 a 2017. Os registros possuem um caráter documental-poético da mais tradicional procissão marítima de celebração popular, que também simboliza a renovação das esperanças a cada ano que se inicia, e todo o universo que a cerca.

Onde: Ciranda Café, Cultura & Artes
Data/Hora: Até o dia 28/01 (de seg a sáb: 12h00, aos domingos: 11h00
Valor: Grátis

Fragmentos da Cor

Sob a curadoria do artista plástico Marcos Buarque, que também estará expondo, a mostra conta com participação Acácio Arouche (SP), Andrea Mottura (SP), Cláudia Gimenez (SP), Gessica Lima (BA), Inês Vitória (BA), Lucia Pegoraro (BA), Luciene Aguiar, Marcos Buarque e Marta Dutra.

Onde:Teatro Jorge Amado – Pituba
Data/Hora: qua a dom, das 14 às 19
Valor: Grátis

Mamdourado
A mostra foi inaugurada no dia 10, abrindo o calendário expositivo do museu. A exposição ‘MAMDOURADO’ é produzida pelo artista italiano Flavio Marzadro, que faz residência artística no local para desenvolvimento do seu projeto, que tem como objetivo “tornar dourado diversos pontos de Salvador”.

Onde: Museu de Arte Moderna da Bahia
Data/Hora: seg a dom, das 13:00 às 18:00
Valor: Grátis

Tropicália: régua e compasso 
A exposição fica aberta ao público até o dia 30 de março e comemora os 50 anos do movimento do tropicalismo incluindo na programação palestras e performances musicais. São obras das coleções de instrumentos-esculturas musicais de Walter Smetak e do acervo de Arte Popular do Solar Ferrão, além de obras dos artistas Lenio Braga e Carybé, do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM).

Onde:Museu de Arte Moderna da Bahia
Data/Hora: ter a Sex – das 13:00 às 19:00 / Sáb e dom – das 14:00 às 19:00
Valor: Grátis

Shtim Shlim – O sonho de um aprendiz

Através de objetos gigantes expostos e das intervenções de atores, o grupo Os Tapetes Contadores de Histórias retorna à capital baiana para contar a saga do herói Shtim Shlim. Com direção artística da educadora e contadora de histórias ganesa, Inno Sorsy, a mostra conta com uma programação paralela gratuita que inclui roda de conversa e oficinas sobre a arte de contar histórias.
O público que comparecer à CAIXA Cultural Salvador nos sábados, domingos e feriados em que a mostra estiver em cartaz, além de apreciar a instalação, poderá assistir ao espetáculo teatral que conta a história de Shtim Shlim. Em cada um destes dias, ocorrerão duas sessões, sempre às 11h e 16h, com capacidade para 30 pessoas, com idade a partir de 6 anos. A entrada é franca e as senhas de acesso serão distribuídas com 30 minutos de antecedência ao início dos espetáculos. O critério de seleção será o da ordem de chegada.

Onde: CAIXA Cultural Salvador
Data/Hora:  8/1 a 12/2, ter a dom, 9h às 18h | Espetáculo: 7/1 a 12/2, sáb, dom e feriados, 11h e 16h | Oficinas: 10/1 a 13/1 e 31/1 a 3/2, 16h | Roda de conversa: 8/2, 17h
Valor: Grátis
71 3421-4200

Mestres da Capoeira – Em Busca da Oralidade Perdida
A exposição reúne relatos de nove dos mais importantes Mestres de Capoeira baianos, que resultaram em uma interativa de registro das histórias e experiências vividas por eles e que vinha sendo transmitida pela oralidade e, portanto, com grande risco de perda. Todos os Mestres foram entrevistados pessoalmente e, destes encontros, foram feitos vídeos, textos, fotos e reprodução de objetos pessoais relevantes para a narrativa de suas histórias. A mostra é composta ainda por registros de jornais e materiais de época, além de outros elementos coletados em que apresentam ao público esta perspectiva da história, por ora, restrita aos mestres que viveram as experiências.

Onde: Centro Cultural Solar Ferrão (Pelourinho)
Data/Hora: 6/12 a 19/2/2017, ter a sex, 12h às 18h; sáb, dom e feriados, 12h às 17h
Valor: Grátis
71 3116-6743

Comentar

%d blogueiros gostam disto: