Salvador
26°
algumas nuvens
umidade: 78%
vento: 6m/s L
Máx 26 • Mín 25
Weather from OpenWeatherMap

Advogada e psicóloga participam do Sinta-se Bem de hoje (24)

Por que, muitas vezes, o fim da relação afetiva causa a prática da alienação parental? Essa dúvida será respondida no Sinta-se Bem de hoje (24), que recebe a advogada Fernanda Barreto e a psicóloga doutora Mônica Aguiar, que conversam com a apresentadora Olga Goulart, a partir das 16h.

Alienação Parental

O término de uma relação amorosa estável é, quase sempre, um evento traumático para o casal que o vivencia e que, quase sempre reflete os seus sinais de dor, insegurança emocional, financeira e de sensação de vazio existencial por todo o grupo familiar.

Um dos fenômenos mais cruéis e maléficos relacionados ao ódio e ao desejo de vingança pelo fim da relação afetiva é fenômeno antigo, mas para o qual a atenção dos estudiosos de diversas áreas somente voltou-se mais recentemente. “A alienação parental é a manipulação da criança por um dos pais, programando-a para odiar o outro genitor ou os membros de sua família, através da implantação de falsas memórias (de falta de afeto, abandono, abuso)”, explica a advogada na área civil e mestre em direito das famílias, Fernanda Leão Barretto.

Segundo ela, a alienação parental é o evento que, pela gravidade, pela complexidade na caracterização e pela dificuldade de ser provada, vem desafiando estudiosos do direito das famílias, da medicina, da psicologia, da psicanálise e da pedagogia, entre outros.

Sintomas da Alienação Parental

Mesmo nos estágios em que os atos de alienação ainda não foram densos ou constantes o suficiente para fazer surgir os sintomas mais graves da síndrome, o conflito de lealdade experimentado pelo filho vítima do processo progressivo de alienação, o medo de desagradar o genitor alienador e/ou de ser retaliado por ele, caso desobedeça a sua campanha difamatória do outro genitor, já provoca danos psicológicos evidentes e consideráveis.

Mas, mesmo nos casos em que o ataque só dá diretamente à psique das pequenas vítimas, sem abusos físicos diretos, os danos, muitas vezes, revelam-se até na dimensão corporal dos sujeitos, que chegam a apresentar sintomas físicos de doenças.

As vítimas de alienação parental podem apresentar, na fase adulta, dificuldades para manter relações amorosas estáveis; problemas quanto à própria sexualidade; dificuldade de dimensionar moralmente as situações e de sentir remorso, o que, em casos mais sérios, pode gerar até uma propensão à psicopatia.

Faça a sua pergunta através do telefone 3486 3201 ou pelo WhatsApp 9 9289 2732.

Sintonize na Rádio Sociedade 102.5 FM / 740 AM

 

Comentar

%d blogueiros gostam disto: