Salvador
26°
nuvens dispersas
umidade: 78%
vento: 3m/s SL
Máx 26 • Mín 26
Weather from OpenWeatherMap

Por dia, 428 pessoas morrem no Brasil por tabagismo, segunda INCA

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), 428 pessoas morrem por dia no Brasil por causa do tabagismo.  A Organização Mundial da Saúde (OMS) celebra o Dia Mundial sem Tabaco, nesta quinta-feira (31), e alerta para a ligação entre o cigarro e as doenças cardiovasculares, principal causa de morte em todo o mundo. Segundo a OMS, o uso do tabaco é um importante fator de risco para o desenvolvimento de doença arterial coronariana, derrame e doença vascular periférica.

No Viva Bem de hoje veiculado, as 14h, na Rádio Sociedade, Tainã Gama conversou com a médica pneumologista Dra. Ana Paula Barreto, que explicou que toda e qualquer forma de fumar é prejudicial, seja cigarro, nascar, naguille etc.

Diante das recaídas é importante não desistir, os benefícios são sentidos gradativamente e por mais que a olho nu você não veja ou perceba de imediato, o seu organismo agradece.

Fumantes passivos – Dados da organização mostram que as doenças cardiovasculares matam mais pessoas do que qualquer outra enfermidade no mundo, sendo que fumantes passivos respondem por aproximadamente 12% do total de mortes por doenças do coração. O uso do tabaco figura como a segunda principal causa de doenças cardiovasculares, atrás apenas da pressão arterial alta.

“A epidemia global de tabaco mata mais de 7 milhões de pessoas todos os anos, das quais quase 900 mil são não fumantes que morrem por inalar fumaça emitida por fumantes”, destaca a OMS, ao citar que cerca de 80% dos mais de 1 bilhão de fumantes em todo mundo vivem em países de baixa e média rendas.

Brasil – Conforme dados do Inca, 12,6% de todas as mortes registradas no país são atribuíveis ao tabaco. Ao todo, 156.216 mortes poderiam ser evitadas todos os anos caso o uso do tabaco fosse eliminado.

Os números mostram ainda que, no ano passado, 73.500 pessoas foram diagnosticadas com câncer provocado pelo tabagismo. Segundo o Inca, R$ 56,9 bilhões são perdidos a cada ano em função de despesas médicas e perda de produtividade.

Comentar

%d blogueiros gostam disto: