Digite sua busca

 

 

Notícias em destaque Polícia

Esconderijo de miliciano tinha 13 celulares e quatro armas, diz Polícia

Considerado um dos chefes de um grupo de milícia que atuava em Rio das Pedras, no Rio de Janeiro, Adriano Magalhães de Nóbrega, conhecido como Capitão Adriano, morreu em um confronto com policiais militares na manhã do último domingo (9), no interior da Bahia, em Esplanada. Com ele, a polícia baiana apreendeu 13 celulares, uma pistola, um revólver e duas espingardas.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), Adriano que é ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do Rio de Janeiro, passou a ser monitorados a partir de informações que ele teria buscado esconderijo na Bahia. Após a morte, a polícia fez uma varredura que encontrou os materiais em diversos cômodos da casa.

Segundo o advogado de Adriano, o miliciano temia ser alvo de uma “queima de arquivo”. Toda formalização da ocorrência foi repassada para equipe do RJ que deu apoio com informações e investigavam o miliciano.

Foto: Divulgação SSP

    
 WhatsApp
 Baixe o aplicativo Sociedade Play
X