Digite sua busca

 

 

Brasil Notícias em destaque SAÚDE

29 de agosto: Dia Nacional de Combate ao Fumo.

O Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado em 29 de agosto, tem como objetivo reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco.

Criado em 1986 pela Lei Federal 7.488, a data inaugura a normatização voltada para o controle do tabagismo como problema de saúde coletiva. As doenças relacionadas ao fumo matam mais de 5 milhões de pessoas no mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). No Brasil, esse número fica em aproximadamente 200 mil mortes por ano.

A OMS classifica o tabagismo como a dependência da droga nicotina, presente em qualquer derivado do tabaco, seja cigarro, cigarrilha, charuto, cachimbo, cigarro de palha, fumo de rolo ou narguilé.

Após ser absorvida, a nicotina atinge o cérebro entre 7 e 19 segundos, liberando substâncias químicas para a corrente sanguínea que levam a uma sensação de prazer e bem-estar. Essa sensação faz com que os fumantes usem o cigarro várias vezes ao dia. Por sentir prazer, o fumante busca o cigarro em situações de estresse, para “relaxar”.

Apesar do número de fumantes estar em queda no Brasil, os números revelam um alerta importante na luta contra o tabagismo: durante a pandemia, houve um abandono significativo do tratamento da dependência.

Dados do Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) indicam que, durante o ano de 2020, houve uma redução de 66% no número de fumantes em tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS) em relação a 2019. Entre as regiões brasileiras, a maior queda provocada pela pandemia foi no Sudeste, com 68%. A região Nordeste registrou 66%, seguida do Centro Oeste (63%), Sul (62%) e Norte (59%).

Dicas para abandonar o cigarro

– Quem fuma geralmente associa o cigarro ao prazer e bem-estar. Para quebrar esse padrão, a pausa no trabalho e a cerveja no bar com os amigos, por exemplo, não devem ser entendidas como “a hora de fumar”. No início, o fumante deve procurar fumar sozinho e, de preferência, de uma maneira que lhe cause uma sensação de desconforto, como em pé, na área de serviço;

Um dos maiores problemas causados pelo cigarro é a indisposição. No entanto, o exercício físico proporciona as mesmas sensações de prazer que o cigarro. Por isso é importante ter o hábito de se exercitar todos os dias, por no mínimo 30 minutos, para ajudar na qualidade de vida e na diminuição da dependência do cigarro. Na pausa do trabalho, por exemplo, se houver vontade de fumar, recomenda-se fazer uma caminhada, olhar as redes sociais, tomar água ou conversar com os colegas para que o cigarro fique de lado;

– Muitos pensam que parar de fumar é um exercício “da noite para o dia”, mas é algo muito mais complexo. Especialistas recomendam que o processo de suspensão do tabagismo seja feito gradualmente, diminuindo o número de cigarros em 25% a 30% a cada sete dias, para não provocar crises de abstinência e mau humor;

– Ingerir bebidas alcoólicas desencadeia uma série de processos químicos que aumentam a vontade de fumar. Portanto, evite o álcool durante o processo de suspensão do cigarro;

– O tabagismo é uma doença crônica, por isso caso você não consiga parar de fumar sozinho, procure um médico para realizar um tratamento.

Foto: Divulgação/Sociedade Brasileira de Pediatria

Tags:

Notice: Undefined index: bg_img_color in /home/rdsoncom/public_html/wp-content/plugins/convertplug/modules/info_bar/functions/functions.php on line 143