Digite sua busca

 

 

Notícias em destaque Política

Decotelli pede demissão do MEC após falsificações em currículo

Menos de uma semana após ser nomeado ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli pediu demissão do cargo. Ele deixa o posto após uma série de falsificações no seu currículo serem descobertas. Decotelli entregou hoje o pedido de demissão ao presidente Jair Bolsonaro.

Segundo o jorna Folha de S. Paulo, para o cargo, voltaram a ser cogitados o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, o ex-assessor do Ministério da Educação Sérgio Sant’Ana e o conselheiro do CNE (Conselho Nacional de Educação) Antonio Freitas, que é pró-reitor na Fundação Getúlio Vargas.

A primeira das falsificações de Decotelli foi o doutorado. Segundo o currículo apresentado por Bolsonaro, o economista era doutor pela pela Universidade Nacional de Rosario, da Argentina, mas o reitor da instituição, Franco Bartolacci, negou que ele tenha obtido o título.

Em seguida, a Universidade de Wuppertal, na Alemanha, informou que Decotelli não possui título da instituição, ao contrário do que constava em seu currículo, que mencionava pesquisa de pós-doutorado.

Por fim, a Fundação Getúlio Vargas negou que Decotelli tenha trabalhado para a instituição, como ele também colocou em seu currículo Lattes. A nova descoberta irritou o presidente Jair Bolsonaro, segundo assessores.

Foto: Marcos Corrêa/PR

    
 WhatsApp