Digite sua busca

 

 

Notícias Notícias em destaque

Ambulâncias da Samu podem virar leitos provisórios de tratamento da Covid-19 em Salvador

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), afirmou ontem (4) que estuda a possibilidade de utilizar ambulâncias do Sistema de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para atender pacientes com covid-19 que precisam de respiradores, enquanto aguardam uma vaga em leito de UTI. A ideia foi discutida numa reunião com Léo Prates, secretário municipal da Saúde,.

“Nós estamos fazendo várias manobras internas, inclusive, há pouco, conversava com o secretário [Léo Prates]. Nós temos 60 ambulâncias do SAMU, estamos ampliando para 70 e talvez, vamos ter que usar provisoriamente, como já acontece no Paraná. As ambulâncias poderão ficar estacionadas nas áreas externas dos hospitais com pacientes no interior delas”, disse em entrevista à TV Bahia.

Ontem, o médico Samu, Pedro Julião, utilizou as redes sociais para relatar o problema de falta de leitos que atinge vários pacientes com Covid-19 na Bahia. No vídeo, gravado dentro de uma ambulância, ele diz estar há horas no veículo com o paciente, esperando a liberação de um leito.

“Estamos desde 15h com o paciente dentro da ambulância com  desconforto respiratório, fazendo uso de oxigênio suplementar. Salvador não tem vaga pra gente levar os pacientes. O que eu estou querendo dizer com isso? Por favor, entendam que a situação é gravíssima. Nós chegamos no limite da ocupação dos leitos. Sabemos que hoje a necessidade do isolamento social é muito importante”, desabafa.

Vídeo: Reprodução | Instagram | @drpedrojuliao

Em caso de aprovação do Prefeito Bruno Reis, Salvador não seria a primeira cidade da Bahia a utilizar os veículos do Samu como leito provisório. O Sociedade Online, havia noticiado na última quarta-feira (3) que no município de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador, pacientes esperavam por cerca de 6 horas nas ambulâncias para conseguirem uma vaga em leito de UTI. A informação foi passada pelo secretário Municipal de Saúde, Elias Natan.

“Até o dia de ontém [2 de março], já tivemos 1.816 casos ativos. Destes, já tivemos 187 mortes. As nossas PAs e as nossas UPAs estão superlotadas. A nossa SAMU tem recebido diariamente mais de 150 chamadas, sendo 90% relacionadas à covid. Temos pacientes aguardando até seis horas dentro das ambulâncias por uso de oxigênio. O quadro é extremamente preocupante e se agrava a cada dia”, disse.

Foto: Paulo Almeida | SMS