Digite sua busca

 

 

Brasil Notícias Notícias em destaque Política

Bolsonaro ataca Aziz e presidente da CPI rebate cobrando posição sobre Covaxin

O presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) atacou o presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM), na manhã desta quinta-feira (8), em conversa no Palácio da Alvorada, onde ele comentou sobre as acusações de superfaturamento na compra da vacina indiana Covaxin. Na ocasião, o chefe do Executivo afirmou que, para acreditar na denúncia, só alguém que “desviou R$ 260 milhões de seu estado, como o Omar Aziz”.

“[…] a Covaxin não tinha passado pela Anvisa. Depois tem a CGU, que faz um pente-fino na maioria dos contratos; e depois ainda tem o TCU. Como você vai fazer uma sacanagem dessa? Só na cabeça de um cara que desvia, no seu estado, R$ 260 milhões, como o Omar Aziz desviou, é que pode falar isso aí. Só um cara que tem 17 inquéritos por corrupção e lavagem de dinheiro no Supremo, como o Renan Calheiros faz”, acusou.

Aziz prontamente rebateu o presidente, cobrando uma posição diante das declarações dadas pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), que alegou ter alertado a Bolsonaro sobre as irregularidades na negociação para a compra da Covaxin, denúncia que foi ignorada.

“Eu, o vice-presidente e o relator estamos mandando uma pequena carta para o senhor dizer se o deputado Luis Miranda está mentindo (…) Por favor, presidente, diga que o deputado Luis Miranda é um mentiroso. [Diga] Que o seu líder na Câmara é honesto!”, afirmou.

“O presidente da República, como de costume, passou 50 minutos no cercadinho, cercado que utiliza para assacar contra a honra dos outros. De uma forma vil, me coloca como se eu tivesse desviado R$ 260 milhões. Não sei aonde que ele ouviu isso (…) Presidente, eu lhe desafio a procurar um processo em que eu seja réu ou denunciado. O senhor já mandou seus agentes de informação vasculharem minha vida toda”, continuou.

Aziz ainda se defendeu dizendo que nunca chamou Bolsonaro de “genocida” e nem o acusou de praticar “rachadinha”. “Nunca lhe chamei de genocida, nunca lhe acusei de ser ladrão, nunca disse que o senhor fazia ‘rachadinha’ no seu gabinete. Não é o senhor que vai parar essa CPI”, garantiu.

Fotos: Isac Nóbrega/PR-Waldemir Barreto/Agência Senado

Tags:

Leia também


Notice: Undefined index: bg_img_color in /home/rdsoncom/public_html/wp-content/plugins/convertplug/modules/info_bar/functions/functions.php on line 143