Digite sua busca

 

 

Notícias Notícias em destaque

Bolsonaro diz sim e sela ”casamento” com PL

Depois de meses de negociação, o presidente Jair Bolsonaro finalmente sacramentou o “casamento” com o Partido Liberal (PL), na manhã desta terça-feira (30) em Brasília-DF. A alusão ao matrimônio tem sido usada no meio político para se referir à ida de Bolsonaro ao PL, porque ele próprio usou o termo durante uma entrevista, quando falava da iminente mudança de sigla.

Em um discurso breve e sem palavras de efeito, Bolsonaro deu sinais que pode adotar um tom menos incisivo na nova casa.  

“Agradeço a Deus pela minha vida, e por essa a oportunidade de, ao lado de vocês, conduzir o destino do Brasil. Não estamos aqui lançando ninguém a cargo nenhum. Um evento simples, mas de muita importância a filiação. Que é uma passagem para que possamos pleitear algo lá na frente”, disse.

Ainda no discurso, Bolsonaro se dirigiu ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), que acompanhava a cerimônia, e pontou que estava ambientado no novo partido.

“Estou me sentindo em casa aqui, Arthur Lira, em casa. Estou me sentindo dentro do Congresso Nacional. Naquele plenário da Câmara dos Deputados, tendo em vista a quantidade enorme de parlamentares aqui presentes”, afirmou Bolsonaro.

O momento de tensão se deu quando o Jair Bolsonaro se dirigiu ao seu novo correligionário, Senador Romário, e em tom de brincadeira disse que está em melhor fase no futebol do que Romário, ex-jogador e tetra campeão mundial pela Seleção Brasileira.

“Eu e o Valdemar [presidente do PL] não vamos decidir certas coisas sozinhos. Em grande parte a nossa visão vai passar por vocês. Nós queremos compor, e com essa composição, fazer o melhor para o nosso Brasil. Por exemplo, o Romário aqui, que hoje em dia eu jogo muito mais futebol do que ele”, disse em tom de riso.

Ao perceber a postura hostil do seu colega, que não revidou a brincadeira e manteve o semblante fechado, completou:

“Tá olhando torto para mim, Romário? Você está no meu time do coração. Logicamente você é uma pessoa conhecida por todos nós do Brasil […]. Você é uma pessoa que é leal acima de tudo. Parabéns para você”.  

O presidente da República estava sem partido desde que saiu do PSL, no final de 2019. Como a criação da nova legenda, Aliança pelo Brasil, não deu certo, Bolsonaro começou a negociar com alguns partidos como PRTB, PTB, e os principais do centrão PP e PL. Esse último prevaleceu.

Foto: Agência Brasil