Digite sua busca

 

 

Bahia Debate Sociedade Entrevistas Notícias em destaque Podcast Salvador

“É impossível compactuar com a falta de escolas”, diz Hilton coelho sobre a educação na Bahia

Neste quinto dia de sabatina promovida pela Rádio Sociedade da Bahia com os prefeituráveis de Salvador, o entrevistado foi o candidato Hilton Coelho (PSOL). O postulante ao cargo de chefia do executivo municipal iniciou o bloco criticando a educação oferecida pelo Governo da Bahia e Prefeitura de Salvador “É impossível compactuar com falta de escolas” avaliou, Hilton.

O sabatinado afirmou que a gestão precisa ouvir a classe de professores, visando o desenvolvimento educacional da cidade. Hilton teceu críticas à atual administração, por não dialogar com os educadores.

“Na nossa gestão, nós vamos ouvir as universidades, é onde existe o conhecimento sobre todos os temas. Em Salvador, hoje, se estabeleceu um cabo de guerra, entre os educadores e educadoras e a prefeitura”, afirmou o entrevistado que, quando vereador, participou da comissão municipal pela educação.

“Quem vai conduzir e guiar a educação de Salvador serão os educadores e educadoras de carreira, tanto do desenvolvimento da comunidade escolar, como aqueles que tenham disposição para uma educação libertadora em toda a cidade”, completou.

Hilton coelho defendeu a necessidade de uma mudança na metodologia de ensino – aprendizagem na educação básica, que segundo ele está defasada na capital baiana. Um dos alvos da crítica foi o Instituto Ayrton Sena, que firmou convenio com a prefeitura de Salvador em 2016, afim de alfabetizar e corrigir a distorção entre idade e série dos alunos matriculados na rede municipal de ensino.

“Adoro o Ayrton como atleta, mas o instituto não presta para nada […] Porque é uma metodologia que é externa à [realidade da] cidade. Um processo de formação que não tem nada a ver com o município”, disse em tom incisivo.

Ainda durante a sabatina, Hilton teceu fortes críticas ao fechamento do Colégio Estadual Odorico Tavares, cuja o prédio foi vendido pelo governo do estado, após autorização da Assembleia Legislativa da Bahia.

“Um exemplo é o Odorico Tavares, [Rui Costa] fechou a escola para vender. Um aparelho daquele pode ter uma importância imensa”, afirmou.

Confira na íntegra o primeiro bloco da sabatina de Hilton Coelho:

Texto: Luan Julião, Rogério Alves e Elias Pereira
Foto: Rogério Alves / Sociedade Online

    
 WhatsApp
 Baixe o aplicativo Sociedade Play
X