Digite sua busca

 

 

Bahia Notícias em destaque Salvador Serviço Transporte

Gerente de Planejamento e Controle da CCR Metrô Bahia fala sobre operações da empresa

Na manhã desta terça-feira (14) durante o programa Sociedade Urgente da Rádio Sociedade da Bahia, sob o comando do apresentador João Kalil, o gerente de Planejamento e Controle da CCR Metrô Bahia, Ricardo Neves, falou sobre as operações da CCR.

Prestes a completar oito anos de operação no dia 11 de junho, o Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas já gerou um impacto positivo de mais de R$ 11,1 bilhões na economia da Bahia. Os dados são do estudo “Impactos Sociais e Econômicos do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas”, realizado pelo Instituto Miguel Calmon (IMIC), lançado na última quarta-feira (08) na Casa do Comércio para autoridades e convidados.

“Até para prontificar e tangibilizar todo o impacto que nós pudemos realizar aqui na sociedade baiana em comemoração aos oito anos de operação da CCR Metrô Bahia, nós encomendamos juntamente ao instituto Miguel Calmon, com o professor Gervásio, um professor da UFBA, doutor em economia, hoje toda socioeconômico justamente pra gente identificar, monetizar, quantificar quais foram os impactos com a implantação do metrô da Bahia”, disse Ricardo Neves.

Quando perguntado sobre a participação da população em relação à pesquisa realizada pelo IMIC e qual foi o resultado gerado, o gerente de Planejamento e Controle afirmou que com base na pesquisa, a empresa trouxe desenvolvimento socioeconômico para a Salvador, para a Bahia e o Brasil, sendo um polo gerador de empregos, renda e qualidade de vida.

“A gente chegou a algumas conclusões. A implantação da CCR Metrô Bahia, a gente concluiu que sim, trouxe desenvolvimento socioeconômico para Salvador, para a Bahia e para o Brasil, assim como foi um polo importante, gerador de empregos, renda e qualidade de vida. Tivemos também algumas informações que são importantes como a fortificação da economia circular, aqui no entorno das estações”, destacou.

De acordo com Ricardo Neves, a CCR investiu cerca de 9,6 bilhões desde o período de 2013 até 2021, sendo na fase de implantação e operação do modal, onde também há uma participação do Governo do Estado da Bahia com 2,7 bilhões de investimento, com recursos próprios e da União. Em relação a ao grupo CCR, a empresa investiu 5,1 bilhões, com recursos do próprio grupo e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Ao ser perguntado sobre a geração de empregos durante os oito anos de operação, Ricardo destacou o percentual de 54 mil empregos.

“No pico da implantação, em torno de 2016, nós geramos aproximadamente 54 mil empregos no Brasil, quando a gente olha para a Bahia, foram 44 mil empregos e desses 44 mil empregos, 96% dessa geração diretas e indiretas ocorreram em Salvador, em torno de 40 mil empregos lá em 2016”, afirmou.

Sobre a ampliação da operação do metrô até cajazeiras/Águas Claras, que é chamada de tramo 3 da linha 1, Ricardo confirmou que será até a nova rodoviária de Salvador, possuindo 5 quilômetros e mais duas estações/terminais, com a expectativa de receber em média 50 mil passageiros por dia.

Foto: Reprodução / CCR Metrô Bahia

Tags:

Leia também