Digite sua busca

 

 

Mundo Mundo Notícias Notícias em destaque Política

Grupo de mulheres afegãs protestam contra Talibã

Um grupo de mulheres afegãs realizou um protesto em Cabul, capitão do Afeganistão, nesta sexta-feira (3), contra o governo do Talibã, pedindo por direitos iguais e pela plena participação na vida política. As informações são da CNN Internacional.

O grupo responsável pelo protesto, ‘Rede Participação Política das Mulheres’, marchou na rua em frente ao Ministério das Finanças do Afeganistão e gritou palavras de ordem. Com elas, estavam cartazes exigindo participação no governo.

Em vídeos, é possível ver que houve um confronto entre um guarda do Talibã e algumas mulheres. Apesar de ter tido a participação de um pequeno grupo, com algumas dezenas de manifestantes, o protesto representou um grande ato de coragem, já que existe um histórico de repressão às mulheres com o Talibã no poder.

O grupo já chegou a sinalizar que as mulheres que trabalham devem ficar em casa e, em alguns casos, o novo governo ordenou que as mulheres deixassem suas ocupações.

Algumas mulheres afegãs já aderiram às ordens do novo governo, ficando em casa por medo de represálias. Também há relatos de famílias que passaram a comprar burcas que cobrem todo o corpo das mulheres.

Além de Cabul, mulheres realizaram protesto semelhante na cidade de Herat, no oeste do país. As manifestantes seguravam cartazes. Um deled dizia que “Nenhum governo pode durar muito tempo sem o apoio das mulheres. Nossas reivindicações: o direito à educação e o direito ao trabalho em todas as áreas”, dizia.

Lina Haidari, uma manifestante da cidade de Herat, disse que “os direitos e conquistas das mulheres, que trabalhamos e lutamos por mais de 20 anos, não devem ser ignorados” no governo do Talibã, de acordo com o vídeo do evento da Getty Images. “Há 20 anos, fui forçada a ficar em casa pelo crime de ser estudante. Hoje, 20 anos depois, por ser mulher e professora”, continuou.

Em tempos obscuros no Afeganistão, na quinta-feira (2), um “milagre” aconteceu com a participação de uma âncora mulher em um programa televisivo do país. Yalda Ali apresentou uma pauta sobre saúde, entrevistando um convidado homem.

Apesar de nova no programa, ela já havia apresentado outros anteriormente, no mesmo canal. O programa parou de ser transmitido no dia 15 de agosto, com a chegada do Talibã, mas foi retomado recentemente.

O canal Tolo é o mesmo no qual uma outra mulher se tornou a primeira jornalista afegã a entrevistar um integrante do grupo do Talibã ao vivo. Após a ocasião, a jornalista fugiu do Afeganistão, alegando temer o grupo.

Foto: Reprodução/YouTube

Tags:

Leia também


Notice: Undefined index: bg_img_color in /home/rdsoncom/public_html/wp-content/plugins/convertplug/modules/info_bar/functions/functions.php on line 143