Digite sua busca

 

 

Bahia Brasil Cidades Diversos Justiça Notícias Notícias em destaque Polícia

Líder espiritual é denunciado novamente pelo MP-BA; Jair Tércio é acusado de cometer crimes contra mulheres

O Ministério Público do Estado da Bahia ofereceu mais uma denúncia contra o líder espiritual e ex-grão-mestre de uma loja maçônica, Jair Tércio Cunha Costa, pelos crimes de estupro de vulnerável, charlatanismo e lesão corporal por ofensa à saúde mental

O MP-BA já investiga por meio da “Operação Fariseu”, subsidiada pelas informações encaminhadas pela organização não governamental “As Justiceiras” e a Ouvidoria das Mulheres do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), acusações de abuso sexual e psicológico de 14 mulheres contra o maçom. Jair Tércio já possui um mandado de prisão preventiva em aberto contra ele e está foragido da Justiça.

A ação conjunta dos Grupos de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e de Defesa da Mulher e da População LGBT (Gedem) é assinada pelos promotores de justiça Márcia Regina Ribeiro Teixeira, Ana Paula Coité de Oliveira, Bruno Pinto Silva, Gilber Santos de Oliveira, Karyne Simara Macedo Lima, Anna Karina Omena Senna, Sara Gama Sampaio, Aroldo Almeida Pereira, Clarissa Diniz de Sena, João Paulo Santos Shoucair, Luiz Ferreira Neto e Ana Carolina Tavares Freitas.

Em nota, a Organização Científica de Estudos Materiais, Naturais e Espirituais (OCIDEMNTE), informa à sociedade brasileira e às autoridades competentes que a instituição permanece inteiramente à disposição para colaborar com a apuração que será realizada na Justiça. Jair Tércio é um dos fundadores e ex-membro da Fundação.

A Fundação OCIDEMNTE refuta quaisquer tentativas de associação da sua imagem e da sua história institucional. Cabe salientar que nem a Fundação e nenhum dos seus membros atuais estão sendo investigados pelo Ministério Público da Bahia.

Vale destacar que, em duas oportunidades, a promotora Sara Gama afirmou expressamente que a Fundação OCIDEMNTE não possui qualquer responsabilidade nos atos investigados, que somente dizem respeito a Jair Tércio, conforme ficou evidenciado na data de hoje (17/09), após a denúncia ter sido formalizada pelo órgão de acusação.

Os casos denunciados, conforme relatados pelas próprias vítimas, não ocorreram no âmbito da Fundação OCIDEMNTE, mas em ambientes privados e decorreram de relações particulares entre Jair Tércio e as denunciantes.

Primamos pela verdade e o respeito a todo ser humano. Esperamos que as graves denúncias sejam apuradas e esclarecidas com o máximo de brevidade possível pela Polícia e Poder Judiciário Baiano”, acrescentou a Fundação OCIDEMNTE.

A investigação corre em sigilo a pedido das vítimas com base no “fundado temor”, em relação ao acusado e a alguns dos seus seguidores. Outras vítimas podem entrar em contato com o MP pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone 08006424577. “Seguimos a disposição das vítimas de crimes contra a dignidade sexual praticadas pelo senhor Jair Tercio, ou outros c rimes, como charlatanismo, bem como de eventuais testemunhas estejam em Salvador ou em outros municípios”, afirmou a promotora de Justiça Márcia Teixeira, do Gedem.

Foto: Reprodução|Facebook

    
 WhatsApp
 Baixe o aplicativo Sociedade Play
X