Digite sua busca

 

 

SAÚDE

‘Não é curável, mas tem um controle muito efetivo’, afirma médico sobre o lúpus

Lúpus

O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença inflamatória crônica de origem autoimune que, segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, atinge uma a cada 1.700 mulheres no Brasil, entre 20 e 45 anos. Não há causa ou cura conhecida, mas possui tratamento eficaz. Durante entrevista para o programa Balanço Geral, da Rádio Sociedade, nesta segunda-feira (19), o reumatologista Alexandre Ibrahim alertou sobre os fatores genéticos, hormonais e ambientais que podem influenciar no desenvolvimento do LES.

“Doenças imunológicas muitas vezes têm um cunho genético. Filhos de pessoas que já tiveram doenças imunológicas, principalmente reumatológicas, acabam tendo uma chance maior. Então existe uma predisposição genética. Não é possível definir geneticamente esse risco, no entanto, a interação dessa predisposição genética, junto com os fatores ambientais pode levar ao desenvolvimento da doença”.

Fatores como consumo de cigarros ou álcool, predisposições relacionadas a doenças inflamatórias da tireoide e irradiações solares também podem influenciar no desenvolvimento da Lúpus Eritematoso Sistêmico. Além disso, segundo o reumatologista, gestantes e puérperas que já possuem uma predisposição genética, assim como indivíduos que sofrem infecções virais de vírus ou bactérias de forma recorrente, podem desenvolver a doença. “Aquele estímulo com ao sistema imunológico pode fazer com ele erre e faça uma proteína, um anticorpo errado e deflagre a doença”.

“Toda doença que não tem cura, são aquelas que a gente ainda consegue controlar. Nós tivemos um avanço muito grande na pesquisa de ciência básica, mas precisamos avançar mais ainda em relação a origem da autoimunidade. A doença, no momento, ela não é curável, mas ela tem um controle muito efetivo. Conseguimos controlar o lúpus com medicamentos”, afirma o especialista.

Embora não exista um exame que seja exclusivo do LES, exames comuns de sangue e urina são úteis não só para o diagnóstico da doença, mas também são muito importantes para definir se há atividade do lúpus no organismo.

Sintomas

Alguns sintomas são gerais como a febre, emagrecimento, perda de apetite, fraqueza e desânimo. Outros, específicos de cada órgão como dor nas juntas, manchas na pele, inflamação da pleura, hipertensão e/ou problemas nos rins.

Tags:

Leia também


Notice: Undefined index: bg_img_color in /home/rdsoncom/public_html/wp-content/plugins/convertplug/modules/info_bar/functions/functions.php on line 143