Digite sua busca

 

 

Bahia Destaque Notícias Notícias em destaque Salvador

“Não há risco de desabastecimento na Bahia”, diz presidente da FAEB

O ano de 2022 começou com alta no preço do hortifrúti nas feiras de salvador.Oos reajustes praticados nos preços de itens básicos como tomate, cebola e pimentão tornaram a refeição da população um pouco mais cara.

Em entrevista a Rádio Sociedade, na manhã desta quinta-feira (6), o presidente da (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia) FAEB, Humberto Miranda, relatou que a FAEB está lidando com essa situação com maior tranquilidade. Ele garante também que não há nenhum risco de desabastecimento, e afirmou que maior parcela desse aumentos está mais ligada à situações que estão criando para se aproveitar com o momento que estamos vivendo (chuvas que causaram danos severos em diversas regiões baianas). E também tem muito a ver com a demanda do mercado que caiu temporariamente, mas que já está retomando com total força às suas atividades.

O presidente Humberto Miranda disse também que como diminuiu a oferta de produtos, e a lei do mercado é esta, quanto mais diminuir a oferta, a demanda que se mantém, acaba subindo o preço. Afirmou também que existe muita especulação, como ele citou na entrevista: “Muitas pessoas se aproveitam e acabam especulando os produtos bem acima dos seus preços.

Ou seja, Miranda disse que o aumento ocorre de maneira pontual e está mais ligado ao período de intermédio entre uma safra e outra, subsequente, de um produto (entressafra). do que aos problemas causados pelas enchentes.

“A possibilidade de desabastecimento não existe pode estar tranquilo. E a variação de preço não vai ter ingerência na cesta básica e na inflação. É algo apenas passageiro, e logo em breve, os preços vão se estabilizar sem problemas. A produção será balanceada e o preço vai voltar à normalidade.”

Produção de Leite na Bahia

Miranda também pontuou sobre a produção de leite relatando que este setor precisa de uma atenção diferenciada de todas as políticas públicas. “Os pequenos produtores de leite do nosso estado, têm sofrido bastante, e foi um setor extremamente afetado devido as recorrentes chuvas nas regiões baianas.” – afirmou ele.

Nas pequenas propriedades a água acabou levando tudo, utensílios, pastagem ficaram alagadas, e devido a falta de energia causado pelas fortes chuvas em muitos povoados e distritos, os mesmos ficaram isolados, e o desperdício de leite foi enorme, vários produtores tiveram que descartar inestimáveis litros do leite, pois o produto precisa ser resfriado de imediato, após retirado, para que ele mantenha a qualidade e em seguida possa ser coletado e vendido.

O presidente também afirmou que esse setor de produção de leite deve receber uma atenção maior, e receber uma visão e importância diferenciada de políticas públicas, municipais, estaduais e federais. Pois esta produção tem um termo social muito grande e muito importante.

Foto: Arquivo Agência Brasil

Tags:

Leia também