Digite sua busca

 

 

Bahia Entrevistas Notícias Notícias em destaque Salvador

“O único remédio para o afogamento é a prevenção”, diz Major do Corpo de Bombeiros

Com as estações mais quentes do ano se aproximando, o clima fica convidativo a dar um mergulho para se refrescar. E, com o aumento na quantidade de banhistas, cresce também o número de registros de afogamentos em praias, rios e piscina.

De acordo com a Coordenadoria de Salvamento Marítimo (Salvamar) somente no último final de semana, 11 e 12 de setembro, foram registradas 40 ocorrências na capital baiana. Deste total, 28 foram resgates de afogamento ocorridos nas praias.

Em entrevista realizada na manhã desta terça (14), o Major Bombeiro Militar, Luciano Alves, ressaltou sobre a importância de tomar os devidos cuidados para um banho seguro. Segundo ele, um dos fatores que contribuem para evitar os casos de acidente marítimo é a atenção, principalmente quando se trata de crianças.

“As crianças são as vítimas mais vulneráveis para afogamento. Devem estar sempre ao alcance de um branco de um adulto ou responsável.  É importante estar utilizando um colete salva-vidas”, ressalta.

Em tempo, ele informa que, nas praias de responsabilidade do Corpo de Bombeiros, são distribuídas pulseiras contendo identificação com telefone e endereço para facilitar encontrar crianças que tenham se perdido dos pais.

Para Alves, a informação e respeito às sinalizações é uma das formas de conscientização mais eficazes para evitar afogamentos.   

“O único remédio para o afogamento é a prevenção. A gente foca muito na questão do salvamento e do papel do salva-vidas, mas a prevenção e informação é o mais eficaz. E uma combinação que acontece frequentemente é o consumo de bebida alcóolica. Então, se beber, não entre no mar”, alerta.


Correntes de Retorno

Ainda de acordo o major, as correntes de retorno são responsáveis por mais de 90% do número de casos de afogamentos nas praias. Isto porque, o local muitas vezes não apresenta ondas, o que torna mais atrativo para um mergulho.

“Nos locais onde há corrente de retorno, a água tem uma coloração diferente, meio café com leite. Se você verificar que a água está com uma cor diferente e tem pouca onda quebrando e do outro lado muita onda, é um local perigoso”, alerta.   

Em casos de afogamento, o aconselhável é chamar um profissional de salvamento ou jogar objetos flutuantes. O ideal é evitar entrar no mar, pois com o desespero, a pessoa que está se afogando pode puxar a outra e causar duas vítimas.

Foto: Reprodução

Tags:

Leia também


Notice: Undefined index: bg_img_color in /home/rdsoncom/public_html/wp-content/plugins/convertplug/modules/info_bar/functions/functions.php on line 143