Digite sua busca

 

 

Brasil Cidades Destaque Economia Notícias Notícias em destaque

Ocupação hoteleira deve registrar alta em todo país durante feriado

Levantamento realizado pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) aponta expectativa de altos índices de ocupação em diversos destinos do país durante o feriado de Corpus Christi, entre os dias 16 e 19 de junho.

O destaque é a cidade de Campos do Jordão, em São Paulo, que tem expectativa de 100% de ocupação para o feriado. Os hotéis sediados na capital do estado, Campinas e Ribeirão Preto devem alcançar 80%. As cidades do interior de São Paulo também devem registrar 80% de ocupação, conforme o levantamento.

No Ceará, a previsão está em torno de 70% de ocupação hoteleira. Na Bahia, os números também devem ficar em torno de 70%, assim como o Rio Grande do Norte. Já no Maranhão a ocupação fica próxima a 84%, o Piauí cerca de 83% e Alagoas em torno de 65%.

No Rio de Janeiro, os índices devem atingir uma média de 85% em todo o estado, com a capital ficando entre 85% e 90%, enquanto as cidades da região serrana, como Itatiaia, Miguel Pereira, Friburgo, Teresópolis e Valença podem ter quase 100% dos quartos ocupados. Já em Minas Gerais, as cidades históricas indicam números próximos a 90%. A capital mineira, Belo Horizonte, deve atingir 60%. No Espírito Santo, a ocupação deve chegar a 82%.

De acordo com levantamento, o Polo Turístico de Gramado e seus destinos prometem ter o inverno mais movimentado de sua história. Canela, Gramado, Nova Petrópolis e São Francisco de Paula, cidades que formam a chamada Região das Hortênsias, já estão com reservas acima de 96% para o feriado de Corpus Christi. Em Santa Catarina, o índice deve chegar a 85%. No Paraná, a expectativa também está alta, com 75% de ocupação.

Na avaliação do presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, Manoel Linhares, os índices apurados indicam uma ocupação histórica em todo o país. Segundo ele, há um aumento nos índices, mesmo quando comparados com os números de antes da pandemia e “poderiam ser maiores se não fosse o alto preço das passagens aéreas que dificulta e limita a expansão do turismo interno”. 

Com Informações da Agência Brasil

Tags: