Digite sua busca

 

 

Brasil Justiça Notícias Notícias em destaque Pandemia Política

Omar Aziz manda apreender passaporte de Carlos Wizard após ausência em CPI da Covid

O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), determinou a apreensão do passaporte de Carlos Wizard após o empresário não comparecer à comissão, onde ele prestaria depoimento na manhã desta quinta-feira (17).

Por volta das 7h, de acordo com Aziz, a equipe da CPI recebeu um pedido dos advogados de Wizard para que a audiência fosse remarcada “para data mais adequada dentro do cronograma dos trabalhos dessa CPI”.

“É uma brincadeira dele né? Uma data combinada para ele vir, é uma autoridade”, ironizou Aziz. “O que me espanta é o cidadão procurar o Supremo Tribunal Federal para conseguir um habeas corpus e ele não aparecer. Então para quê foi ao Supremo?”. 

Wizard justificou sua ausência alegando estar nos Estados Unidos e sem passaporte. Segundo determinação do senador, o documento do empresário deve ser apreendido pela Polícia Federal assim que ele chegar ao Brasil e só será devolvido após ele prestar depoimento na CPI da Covid. No pedido de habeas corpus ao STF (Supremo Tribunal Federal), o empresário pediu para que a sessão fosse virtual, o que foi negado pelo ministro Luís Roberto Barroso.

Antes da solicitação, Wizard também apelou à CPI que o evento fosse remoto. Aziz negou o pedido e alegou que uma audiência virtual abre brecha para que o empresário leia as próprias respostas e se ausente do depoimento quando quiser, “situação que vai de encontro ao dever jurídico de a testemunha dizer e de não calar a verdade”. 

“Carlos Wizard tem que entender que a justiça brasileira tem outras coisas para fazer, não dá para levar na brincadeira o Supremo (…) Está achando que conseguir habeas corpus no Supremo é igual ir na quitanda comprar bombom? É uma falta de respeito com o STF”, disse o senador.

Carlos Wizard é apontado como membro do “gabinete paralelo”, grupo que teria aconselhado o governo federal a defender o uso de medicamentos comprovadamente ineficazes contra a Covid-19, como a hidroxicloroquina, e teorias como a da imunidade coletiva, ou “de rebanho”.

A sessão da CPI da Covid foi cancelada hoje. Além de Wizard, estava marcado o depoimento do auditor do TCU (Tribunal de Contas da União), Alexandre Marques, apontado como responsável por elaborar falso estudo sobre mortes por Covid-19 no Brasil, citado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Marques também conseguiu habeas corpus para ficar em silêncio na CPI e seu depoimento será remarcado.

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Tags:

Leia também


Notice: Undefined index: bg_img_color in /home/rdsoncom/public_html/wp-content/plugins/convertplug/modules/info_bar/functions/functions.php on line 143