Digite sua busca

 

 

Destaque Notícias Pandemia Rádio Sociedade Salvador SAÚDE

Outubro Rosa: “pandemia faz disparar casos de câncer de mama”, alerta especialista

Doença que mais mata mulheres no mundo, o câncer de mama atingiu 2,3 milhões de pessoas em 2020, representando 24,5% dos casos no público feminino, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

Mês de conscientização internacional ao combate da doença, desde 1990, o Outubro Rosa é responsável por promover ações na divulgação de informações sobre a enfermidade, além de atividades, como o serviço do diagnóstico precoce e o tratamento.

Em entrevista ao programa Balanço Geral, da Rádio Sociedade, na manhã desta terça-feira (5), o médico oncologista Rafael Batista ressaltou a importância da identificação da doença, após os primeiros sintomas.  

“O toque-exame é uma forma da mulher se conhecer. Notar se tem alguma alteração. Ele deve ser feito fora do período menstrual. A mulher apalpando a mama direita com a mão esquerda, e a mama esquerda com a mão direita, fazendo movimentos circulares, para ver se encontra alguma alteração”, explica.

Outra etapa importante na detecção da doença é a realização de exames de imagem, como a mamografia, recomendado para todas as mulheres, a partir dos 50 anos.

Doença na pandemia

Encarando o cenário da doença durante a pandemia de Covid-19, o especialista alerta para as dificuldades encontradas em meio ao período no auge da crise sanitária, que exigiu cuidados como a necessidade de isolamento social.

De acordo com Batista, a pandemia trouxe muita preocupação, com o recolhimento das  pessoas e a baixa procura pelos serviços de saúde.

“Vimos uma disparada no número de doenças avançadas, quando a mulher já consegue notar um caroço, ferida, ou sangramento na mama ou axila. Uma vez que a gente entendeu melhor a doença, a gente viu que o risco de você atrasar um exame de rastreamento era maior do quê de contrair a uma forma grave da Covid-19”, afirma.

Câncer de mama em homens

Apesar de atingir amplamente as mulheres, o câncer de mama também é responsável por casos entre homens, notabilizando 1% dos casos no público masculino. 

Conforme o médico, a baixa incidência é explicada por causa dos hormônios, sendo necessário também a busca por um especialista, no caso, mastologista. 

“Os hormônios femininos aumentam o risco nas mulheres, geralmente está associado a algum fator hereditário. O homem que tem câncer de mama, na família, costuma ter casos mais casos da doença”, finaliza. 

Foto: Agência Brasil

Tags:

Notice: Undefined index: bg_img_color in /home/rdsoncom/public_html/wp-content/plugins/convertplug/modules/info_bar/functions/functions.php on line 143