Digite sua busca

 

 

Bahia Bahia Brasil Destaque Entrevistas Notícias Notícias em destaque Pandemia Programas SAÚDE

Primeira vacina totalmente brasileira contra Covid inicia testes em humanos; líder do projeto espera imunizante mais barato

Desenvolvida pelo Senai Cimatec, em Salvador, a primeira vacina totalmente brasileira contra a Covid-19, inicia nesta quinta-feira (13), na capital baiana, os testes em humanos. 

Nomeado como RNA MCTI CIMATEC HDT, o imunizante é fruto de uma parceria entre cientistas brasileiros e americanos, integrantes da instituição HDT BIO CORP, e será aplicada em voluntários com o propósito de avaliar a segurança e a imunogenicidade (capacidade de produção de anticorpos).

Em entrevista a Rádio Sociedade, na manhã desta quinta-feira, a líder técnica das pesquisas do Senai, Bruna Machado, falou sobre as expectativas em relação aos resultados com os testes.

“Nosso objetivo é fazer um desenvolvimento acelerado, como as outras vacinas estão fazendo, e dentro de um prazo de 1 ano, obter o registro desta vacina na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para que esse produto fique disponível para a sociedade e entre no Plano Nacional de Imunização (PNI)”, explica

De acordo com a especialista, a intenção do projeto é proporcionar uma vacina em dose única, em baixas concentrações, o que é um diferencial dessa nova tecnologia.

Iniciando hoje a fase 1 dos testes clínicos, com 90 voluntários, o projeto deve passar por duas fases ainda, segundo Machado.

“Por volta de três meses, devemos passar para a fase 2, recrutando cerca de 400 pessoas, e depois a fase três, a final, onde será um grupo maior de pessoas, para analisar a eficácia em um grupo com cerca de 3 mil voluntários”, conta.

Será uma vacina mais barata?

Importadas das farmacêuticas internacionais desde o início da pandemia, as vacinas vêm sofrendo alterações no preço, por diversos fatores, como o surgimento de variantes. 

Produto nacional, o imunizante desenvolvido aqui no Brasil também possui como atrativo a possibilidade de aquisição por um preço mais acessível para os estados e prefeituras do país.

“Assim que obtivermos a licença do registro junto a Anvisa, começaremos a produção. Já temos parceiros na indústria farmacêutica nacional interessados no processo. Esse é o papel também do Cimatec, apoiar a indústria para que essa tecnologia seja 100% produzida no Brasil”, finaliza.

Foto: Divulgação / Senai

Tags:

Leia também


Notice: Undefined index: bg_img_color in /home/rdsoncom/public_html/wp-content/plugins/convertplug/modules/info_bar/functions/functions.php on line 143