Digite sua busca

 

 

Bahia Brasil Economia Notícias Notícias em destaque Rádio Sociedade Salvador

Especialista diz que complicações financeiras no início do ano é por causa de nosso calendário

As dívidas do começo do ano são problemas comuns na vida de muita gente. O fim do ano e o começo de um próximo são dois momentos de expectativa e às vezes de surpresas não tão boas. Se você não cuidar dos seus gastos pode começar um ano endividado, no vermelho, e isso pode comprometer o ano inteiro.

Em entrevista a Rádio Sociedade, na manhã desta quarta-feira (12), o professor de economia e finanças, Antônio Carvalho, acentuou sobre pontos que tornam o início do ano bem corrido, financeiramente falando.

Concentração de gastos no início do ano

Sempre no início do ano, quanto próximo do fim dele, costumamos enfrentar as costumeiras dívidas de IPVA, IPTU, e para muitas famílias, material escolar e matrícula. E acrescentando também os festejos de fim de ano, natal e réveillon, que presentes tornam-se algo frequente entre amigos, parentes, e outros vínculos.

Diante disso, Antônio Carvalho ainda afirmou que devido a falta de uma boa educação financeira, muitos de nós costuma se enrolar nestes períodos. E segundo o professor, isso ocorre muito por conta do uso do cartão de crédito deliberado, fato este, que é bem diferente em outros países mais desenvolvidos, e que tem uma educação financeira mais atenuada. Pois no Brasil somente nos primeiros sete meses do ano passado, os brasileiros já tinham gasto R$ 857 bilhões no cartão de crédito, um crescimento de 20% na comparação com janeiro a julho de 2019, no pré-pandemia, e maior valor da história para o período.

Conforme o professor, esse uso descontrolado de cartão de crédito, acaba virando sempre uma bola de neve devastadora, pois se mistura com uma inflação alta e variável do nosso país. Ou seja, segundo Carvalho, o que resta para o povo, é viver tentando não se enrolar com as dívidas, levando em conta que o brasileiro sofre com uma grande sub-remuneração, quando comparado aos países desenvolvidos.

Nosso calendário é desfavorável

Professor Antônio Carvalho ainda afirma que se o mesmo tivesse algum tipo de influência, ele mudaria o nosso calendário, arrastando as aulas para o período de junho, em que se divide o ano, assim como os países do hemisfério norte. Pois lidar com matrículas, materiais escolares, problemáticas acadêmicas, misturados com impostos obrigatórios, que foram citados anteriormente nesta matéria, acaba sendo um tormento para o povo brasileiro.

Empresas também sofrem muito com a inflação inconstante

Ainda de acordo com o Carvalho, as empresas sofrem drasticamente, por conta da inflação alta e variável. Pois muitas acabam comprando seus estoques para vender, obtém seus lucros, porém o valor que foi obtido, já não é mais suficiente para fazer um reabastecimento de seus produtos. Sendo assim, fica mais caro do que pela primeira vez que comprou. E para as empresas evitarem quebrar, é recomendado que faça um planejamento e estudo de projeção do mercado, para evitar surpresas. Mas esse é um dos maiores porquês, de encontrar produtos com preços tão voláteis, com valores subindo e descendo, em todos os tipos de comércio.

Foto: Marcelo Casal jr/Agência Brasil

Tags:

Leia também