Digite sua busca

 

 

Bahia Notícias Notícias em destaque Salvador Serviço

Quem está com o cadastro do Bolsa Família em dia não precisa ir para fila, explica Kiki Bispo

Mais filas voltaram a se formar na sede da Secretaria Municipal de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre), que fica no bairro do Comércio, em Salvador. Os beneficiários do Cadastro Único (CadÚnico) se deslocaram para fazer recadastramento de benefícios sociais em Salvador, na manhã desta sexta-feira (12). Contudo, muitas pessoas estão indo sem necessidade.

O chefe da Sempre Kiki Bispo (DEM) explicou que, quem recebe o Bolsa Família e está em dia com o seu cadastro, não precisa procurar as unidades. Com a extinção do Bolsa Família e a implementação do Auxílio Brasil, as pessoas estão preocupadas com o recebimento do benefício e têm buscado os postos para checar a atualização. Outras, não sabem como está a situação cadastral e buscam as unidades para garantir o direito.

“É importante a gente falar que desde março do ano passado o atendimento ficou restrito por causa de uma determinação do governo federal. Isso gerou uma demanda reprimida muito grande. Aliado a isso, a nova reabertura da sede no Comércio, onde nós saímos de 200 atendimentos presenciais para 800, gerou, aliado também com o somatório de informações da mudança do Bolsa Família para o Auxílio Brasil, uma corrida muito grande por parte dessas pessoas, que, por falta de informação, acabou procurando e lotando os nossos equipamentos sociais”, detalhou.

“Mas é importante a gente frisar que, nesse momento, quem recebe o Bolsa Família e está em dia com o seu cadastro, não precisa procurar as nossas unidades. Eu posso afirmar que mais da metade das pessoas que estão dormindo nas filas, que estão madrugando em nossos equipamentos, ela tem esse perfil”, continuou Kiki. “Naturalmente, com essa migração para o Auxílio Brasil, essa ideia de que o valor vai passar para R$ 400, gerou essa corrida”, completou.

Além disso, o secretário cobrou uma campanha maciça do governo federal. “Eu preciso reiterar que o governo federal, que editou a medida provisória desde agosto desse ano, já deveria ter feito uma campanha maciça para divulgar e informar as pessoas. Até hoje, a matéria está tramitando na Câmara dos Deputados. Por se tratar de uma medida provisória é preciso que no prazo de 120 dias o Congresso aprove. Aliado a isso também, nós temos a PEC dos Precatórios que foi votada em dois turnos na Câmara dos Deputados, que está chegando agora no Senado Federal. Portanto, é desses recursos que vai ser assegurado o valor que será pago para o Auxílio Brasil”, explicou.

Por fim, ele disse que o Auxílio Brasil não está completamente definido. “Então, nós temos tempo hábil. Montamos na prefeitura uma força tarefa muito grande para poder atender as pessoas. Nós estamos hoje com a capacidade de atender 1.500 pessoas. O prefeito Bruno Reis nos delegou que imediatamente podemos resolver essa questão da fila”.

Foto: CMS

Tags:

Leia também


Notice: Undefined index: bg_img_color in /home/rdsoncom/public_html/wp-content/plugins/convertplug/modules/info_bar/functions/functions.php on line 143