Digite sua busca

 

 

Notícias Notícias em destaque

Vice presidente Mourão afirma que tomará a vacina contra a covid-19

Depois de ficar isolado por duas semanas, após ser diagnosticado com covid-19, o vice-presidente da Repúblicam, Hamilton Mourão (PRTB) voltou hoje (11), a despachar no seu gabinete no Palácio do Planalto, em Brasília. Em entrevista à imprensa, ele falou que pretende ser vacinado, pontuando que a imunização é uma questão do coletivismo.

“Eu acho que a vacina é para o país como o todo. É uma questão coletiva, não é individual. O indivíduo está subordinado ao coletivo neste caso”, disse Mourão, que tem 67 anos, e  faz parte do grupo de risco para a doença.

Ao ser questionado sobre o número de mortes pela covid-19 no país, que ultrapassou a marca dos 200 mil, Mourão lamentou o fato, e elogiou a atuação dos médicos brasileiros no enfrentamento à doença.

“A nossa medicina está salvando mais de 97% das pessoas que são contaminadas. Infelizmente, a gente tem esse número elevado. Agora, nos últimos dias, eu perdi dois amigos de longa data para essa doença. Mas a nossa medicina tem feito um papel muito bom. Quando você olha a realidade dos números, existe um número significativo de gente que faleceu. Mas nós temos mais de 7,5 milhões de pessoas curadas. Isso é efeito da nossa medicina”, afirmou.

Mourão respondeu, também, às perguntas sobre o plano nacional de imunização e polêmicas em torno das vacinas. Uma vez que o presidente da República, Jair Bolsonaro, demostrou ser contra a vacina produzida pela chinesa Sinovac.

“Pelo que eu conheço ali do pessoal do Ministério da Saúde, eu julgo que eles vinham preparando isso aí já de algum tempo. Desde o ano passado eu falei para vocês que o governo iria adquirir toda e qualquer vacina que fosse certificada pela Anvisa. Ficou aquela discussão… e, no final das contas, estão sendo adquiridas as vacinas que vão ser certificadas. Os estados têm material para iniciar a imunização. E o governo federal pode fazer uma requisição aí de seringa e agulha e complementar o que for necessário”, declarou.

Foto: José Cruz/Agência Brasil